terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Se colocar sem se despejar é uma sutileza necessária, eu pensava. Acontece que sempre me poupei. Não sou generoso! Fui medroso! Amar não é sutil, não dá para economizar. Quero o despojo despreocupante! A fala antes da consequência. Esquecer o tic tac entorpecente. Preciso me reinventar, virar ao avesso. Ser palhaço.

4 comentários:

Nadia lopes disse...

oi,Marcelo
essa "fala antes da consequência" me fez lembrar da incontinência verbal que me acompanha há anos...
Não se poupe e boa reinvenção esse é o caminho!!
beijo

Thaís Fernandes Palhares disse...

Ei Marcelo... vou te ler também... sobre o amor.... ah.. o amor é um grande espetáculo de nós mesmos...
engraçado é que seu post é o avesso daquele meu... temos muito que aprender...

Cínthya Verri disse...

Oi querido,
fiquei querendo ouvir mais tua voz.
Avise do próximo sarau.
;)
beijos meus pra ti.

marcelo disse...

Valeu Nádia! Eu juro que vou tentar!
Thaís! Como dizia Tom! Somos todos amadores quando se trata de amar! Os fantasmas da infância saem todos do armário!
Cínthia! Bom te ver aqui! A minha voz faltou mesmo! Te aviso de novos saraus sim, claro!
Beijos!