sábado, 6 de junho de 2009

Tempo

Nunca é tempo de ser feliz
Felicidade não tem agenda nem batida
alegria não é espera
não se alcança
não há túnel nem fim na salvação
amar não é uma dependência solitária
Nada acontece naturalmente, ilusão pós moderna de fluidez,
não somos naturais
É preciso desejo, impulso, força, direção, resistência e fé.
Não pense que é fácil ou pouco.
De graça nada é muito divertido.
_____________________________________________________________
A felicidade bateu em sua porta, o incrível é que às vezes ela bate mesmo. Nem abriu... Não quis olhar seu rosto.... teve medo e pressa... O pacote não vinha pronto....

6 comentários:

mariah disse...

Marcelo, simples assim: Adoro te ler! Continues convulsionando a existência...
Um abraço,
Mariah de Olivieri
Oficina Carpinejar no verão

Luciane disse...

Que lindo, marcelo...adorei! Beijos!

marcelo disse...

Oi Mariah! Surpresa boa te ver aqui! Seja sempre bem vinda! Fico feliz por saber que tu gosta de ler minhas convulsões. Um abraço!

Valeu mãna! Minha seguidora número um.

Simone K. disse...

Oi, Marcelo,
fiquei um tempo afastada, mas cá estou novamente. Ótimo texto, perfeito! E,sim, estou me cuidando, finalmente... obrigada!
Beijos!

marcelo disse...

Que bom Simone!! Seja bem vinda de volta! qualquer coisa dá um grito literal! Nunca é tarde! Bjo!

temdeque disse...

Concordo!Não somos mesmo naturais, não meesmo!Beleza de escrita!Abc